Deus é

Deus não existe. Deus é a existência em si mesma. É Aquele que dá sentido e significado a tudo o que existe, logo, afirmar se existe ou não é desadequado.

“Falar” de Deus é sempre complicado porque temos de usar palavras e essas são limitadas. Usar palavras para falar de Deus constringe sempre o sentido e significado que Deus tem para quem crê e para quem não crê em Deus.

Podemos argumentar cosmologicamente, teleologicamente, filosoficamente, ontologicamente … a favor ou contra a existência de Deus, mas se “Deus é existência”, Deus simplesmente “é”, logo, questionar se existe ou não existe, qualquer que seja o tipo de argumento, pode tornar-se redundante.

Se Deus é, importa mais se tenho ou não um relacionamento com Ele. Assim, neste modo de pensar, afirmar que Deus existe está tão desadequado como afirmar que não existe, pois, faz sentido questionar se “a existência existe”?

Em rigor, a afirmação deveria ser “tenho um relacionamento com Deus” ou “não tenho um relacionamento com Deus”, e isto deveria gerar todo um outro discurso num diálogo entre ciência e fé, pois, quem não tem um relacionamento com Deus, tem um relacionamento com o que existe, e se Deus como “existência” dá sentido e significado a tudo o que existe, a forma como nos relacionamos com o que existe pode definir a forma como nos relacionamos com a existência, ou seja, com Deus.
Advertisements

2 thoughts on “Deus é

  1. Ora, sejamos lógicos: se Deus é a própria existência, então tudo o que existe – Tempo e Espaço e tudo o que pertence ao Tempo e ao Espaço – é Deus ou faz parte dele, como partículas de um todo. Nós integrar-nos-emos em tal perspectiva, podendo considerar-nos partículas divinas. Aliás – já o expressei em vários escritos – Deus, ontologicamente, nunca poderia ser o Deus que qualquer uma das religiões nos tem apresentado ao longo dos tempos, mormente a religião cristã – logo falso!!! – como um ser individual e com sentimentos de amor, compaixão, etc., etc., etc…, mas como o TUDO QUE TUDO CONTÉM! Aliás, se é eterno, contém todo o Tempo; se é infinito, contém todo o Espaço e tudo o que pertence ao tempo e ao Espaço. Mais lógico não pode ser. Tudo o resto que os teólogos – supostamente intelectuais! – afirmam perentoriamente, não passa de falsidades camufladas de mistério e de fantasias, apelando, obviamente – à falta de melhor! – para a Fé!!! Uma burla monumental!!!
    Para mais, veja-se o meu blog “Em nome da Ciência”

    Like

  2. Caro Francisco, para conseguires resolver o teu problema basta distinguires “existência” de “tudo o que existe”. Após esta distinção, o que dizes deixa de ter sentido e significado e o que pensas ser falso, deixa de o ser. Simples. Basta pensar um pouco 😉

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s