Relação entre Crente e Não-Crente




O filósofo Massimo Cacciari fala sobre o relacionamento entre crentes e não-crentes em Chiara Lubich. Como está em italiano, abaixo encontra-se a tradução.

“Como se pode definir o relacionamento entre crente e não-crente em Chiara Lubich. O não-crente vive continuamente no crente e o crente vive continuamente no não-crente. Se é um não-crente que pensa é um não-crente que procura. E procura as coisas últimas. Isto é, depois chamamos-lhe Deus … procura-o. Não é “a-teu”. Não é “sem” Deus. Não atingiu Deus. Talvez não atinja nunca. Mas não é “sem” Deus. 

E assim o crente, não é um crente pacífico, sereno, sedentário, sentado, que possui a verdade. Constantemente procura-a, também ele, cada manhã, deve reconquistar a sua fé. E, portanto, aquilo que une potentemente crente e não-crente, na sua distância, na sua diferença, é a própria procura. É a própria dúvida. Somente se agimos e pensamos sob este ponto de vista podemos, verdadeiramente, estar imunes de qualquer integralismo. Portanto as consequências éticas e sociais deste pensamento podem ser formidáveis. E retenho que seja o único a poder fundar uma efectiva sociedade multicultural, um pluralismo efectivo e um efectivo diálogo ecuménico.”

Advertisements

5 thoughts on “Relação entre Crente e Não-Crente

  1. Desde já mostramos o nosso agrado em ter comentado o nosso post. Quanto ao filme, bem, nós por motivos técnicos não o chegamos a passar no local previsto mas vimos e desde já denotamos a grande disparidade existente nele, a crença ultrapassa os limites e a actriz passa por centenas de dilemas abalando a religião que comungava desde pequena. Muitos filmes hoje em dia fazem face a esta potêncialidade de fazer diminuir a crença nos Homens. Mas este é um tema sob o qual nos tem levado a muitas contorvências a nivel de material e questões sobretudo religiosas. Foi este mesmo propósito que nos levou a querer passar este filme.

    Like

  2. Talvez o Miguel seja a pessoa que o Prof. Paulo Ferrão do IST uma vez me referiu como sendo (ou tendo sido) seu aluno, brincando com o facto de sermos primos. Vi o seu nome referenciado no “Que Treta!”, vim espreitar e deixo aqui os meus votos de sucesso.Ana Sofia Panão

    Like

  3. Cara Ana,é verdade, sou eu mesmo. Fui aluno de licenciatura do Prof. Paulo Ferrão, neste momento sou investigador de pós-doutoramento no Centro que ele dirige, o IN+. Se quiseres, e souberes onde é, podes passar por lá 🙂 …prima

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s